Metas financeiras

Como definir e cumprir as suas metas neste ano!

pote-de-dinheiro

Começo do ano é tempo de renovação, não é mesmo? Momento de avaliarmos nossos objetivos, sonhos e resoluções para o futuro. E querendo ou não, boa parte destes planos envolve dinheiro. Para conseguir realizar tudo aquilo que deseja, separamos algumas dicas de como definir e cumprir as suas metas financeiras para 2018.

Como definir minhas metas financeiras?

metas-financeiras-a7-consorcios-1

O primeiro passo para conquistar os seus objetivos é definir as suas metas financeiras. Para isso, aqui vão 4 dicas essenciais:

  1. Lembre-se que metas não são desejos

Existe uma diferença entre fazer uma lista de metas e outra de desejos. Por exemplo, o seu desejo é passar 1 semana na Disney. Para isso se realizar, você precisa definir metas, como criar o roteiro, calcular o quanto vai gastar, guardar este dinheiro, tirar o passaporte e o visto americano e por aí vai. As metas são os passos necessários para você atingir o seu desejo.

  1. Seja específico

Ao estabelecer metas financeiras você precisa ser o mais específico possível. Defina o seu objetivo e trace o passo a passo para conquistá-lo, tudo com clareza e detalhes. Vamos supor que a sua meta financeira é acumular um patrimônio que lhe permita viver com uma aposentadoria confortável. Você precisa se perguntar o que é confortável para você, como será o padrão de vida no futuro e o quanto de custo você imagina que vai ter.

Não adianta muito você ter uma meta financeira se não sabe o valor que deseja poupar. Por isso, sempre tente definir os seus objetivos com dados mensuráveis. Assim, você consegue saber se está perto ou longe de atingi-lo.

  1. Seja realista

Estabeleça metas possíveis de se cumprir com o seu padrão de vida. Estude o seu orçamento financeiro e entenda o que é realmente possível realizar com ele.

Se não souber por onde começar, você pode aplicar aquela regra conhecida e simples do 50/30/20:

– 50% do valor que você ganha todo mês é o que você pode gastar com os custos fixos como aluguel, água, luz, internet, combustível, mensalidade em educação, mercado, contas etc.

– 30% é para você guardar (em uma poupança ou algum outro investimento financeiro que você possa ter uma reserva segura para quando precisar)

–20% é o que se pode gastar com lazer, como comer fora, sair, comprar roupas, viajar, etc.

Assim você tem um parâmetro seguro de por onde começar e o quanto pode gastar em cada coisa.

  1. Revise suas metas financeiras

Reveja sua lista de metas, priorize as que vão realmente fazer diferença a sua vida financeira e exclua aquelas que não condizem com o seu atual padrão de vida.

Estabelecer todos os seus objetivos de modo específico, evitar resoluções vazias e colocar no papel todos os passos para conquistar o que deseja é a melhor forma de fazer com que as suas metas sejam atingidas.

Como atingir minhas metas financeiras?

metas-financeiras-a7-consorcios-2

Agora que você já sabe como definir as metas financeiras, está na hora de ter algumas dicas de como cumpri-las. Coloque em mente que as suas resoluções não são apenas promessas vazias de ano novo. Com organização, disciplina e coerência é possível atingir tudo aquilo que você planejou.

  1. Poupar é a palavra chave

Não adianta nada listar todas as suas metas se você gastar tudo o que ganha na mesma proporção. Para alcançar os seus objetivos é fundamental poupar dinheiro. Analise o seu orçamento e defina um valor fixo que você vai guardar todo o mês. Também é interessante ter uma parte da renda salva em um fundo de emergência para eventuais ocasiões, como carro quebrado e urgência médica.

  1. Investimento também é importante

Guardar dinheiro no cofrinho é uma boa forma de poupar, contudo para atingir mais rapidamente as suas metas é interessante aplicá-lo de alguma forma. Atualmente, existem diversos tipos de investimentos bancários com riscos baixos. Converse com o seu gerente para saber qual a melhor aplicação para o seu perfil de investidor.

É possível começar a investir mesmo com pouco dinheiro. Confira um post que falamos sobre isso aqui: Em que investir com pouco dinheiro.

  1. Não se esqueça de planejar

A falta de planejamento financeiro é a principal causa de dívidas. Quando não se tem controle sobre o que entra e sai do seu bolso, a chance de se endividar é muito maior. Além disso, você também acaba perdendo a chance de aplicar e multiplicar o seu patrimônio.

Para isso não acontecer, organize o seu orçamento direitinho, da forma mais disciplinada possível. Anote neste documento todas as receitas e gastos fixos e variáveis que você possua. Para se organizar melhor, separe os custos em categorias (alimentação, entretenimento, pet e etc). Assim, você consegue ter um controle maior sobre os seus gastos e saber exatamente onde cortar para economizar.

  1. Consórcio

Você já sabe o que é o consórcio? Este investimento funciona como uma poupança coletiva, em que pessoas com o mesmo interesse se unem para juntar o dinheiro necessário para que cada um dos membros possa adquirir o bem ou serviço que deseja. Com parcelas baixas, sem cobrança de taxa de juros e pouquíssima burocracia, o consórcio é perfeito para quem tem dificuldades com a organização financeira, e quer aumentar seu patrimônio.

Se você é daquelas pessoas que precisam de um compromisso real para guardar dinheiro, este investimento pode ser o impulso que você precisa para reforçar um comportamento positivo com ele. A chance de ter sucesso ao comprar um bem é muito maior pagando as parcelas fixas mensais do consórcio, do que juntando o dinheiro em uma poupança bancária.

Quais são as suas metas financeiras para 2018? Conte para a gente nos comentários o que você pretende fazer com o seu dinheiro nesse novo ano que se inicia. E não se esqueça de conferir dicas sobre finanças, imóveis, investimento, automóveis e muito mais em nosso blog.

Logo A7 Consórcios Azul Escuro
sobre o autor
A7 Consórcios

Comentários