Quando trocar de carro?

Descubra quando chegou a hora certa de vender o seu carro e comprar um novo

quando-trocar-de-carro
Dicas sobre automóveis Publicado em 20/02/2018

Como saber quando é o momento ideal para trocar de carro? Precisa ser anualmente para evitar a desvalorização do veículo? Ou então quando ele começa a apresentar alguns problemas? Confira no post de hoje os fatores que devem ser levados em conta para saber quando é a hora certa de vender o seu carro e comprar um novo:

 

  1. Quantidade de quilômetros percorridos anualmente
quando-trocar-de-carro-1

Se você utiliza o seu veículo para fazer viagens regularmente e como uma ferramenta ativa de trabalho, chegando a ultrapassar a marca de 100 mil km anuais, é interessante que você troque o carro todo ano.

Contudo, são poucos os casos de quem ultrapassa essa quilometragem. Para se ter uma ideia, a média do brasileiro gira em torno de 15 mil km anuais. Neste caso, o ideal é trocar o automóvel levando em conta outros fatores.

 

  1. Desvalorização do automóvel
quando-trocar-de-carro-2

A principal desvalorização do veículo acontece em seu primeiro ano de uso. Durante este período, a baixa pode atingir entre 15 a 20% em um carro nacional. No segundo ano, essa desvalorização já cai para 10% e no terceiro ano começa a se estabilizar.

Para ficar mais claro, vamos supor que você adquiriu o automóvel X zero quilômetros por 50 mil reais. Depois de um ano de uso, ele estará valendo entre R$ 42.500,00 e R$ 40.000,00. Ou seja, para comprar um modelo novo do mesmo nível do carro que está vendendo, você teria que desembolsar entre 10 a 15 mil reais a mais. Isso sem contar as taxas de emplacamentos, documentação e despachantes. No fim, parece que trocar de carro todos os anos pode sair mais caro do que parece, não é mesmo?

 

  1. Desgaste natural do carro
quando-trocar-de-carro-3

O carro é um bem durável, o que significa que ele tem um longo período de duração. Com bons cuidados, ele pode durar muitos anos e percorrer milhares de quilômetros. Para que isto aconteça, é necessário ter a manutenção em dia, realizando revisões no tempo recomendado pelo fabricante e respeitar os limites do automóvel.

Contudo, mesmo com todos os cuidados, o carro eventualmente vai começar a dar alguns problemas. A partir dos 60 mil km rodados, o veículo começa a gerar mais despesas além da simples troca de óleo e filtros. Trocar pneus, amortecedores, embreagem e disco de freio são só alguns dos itens que normalmente precisam de ajustes depois desta faixa de quilometragem.

 

  1. Muitas visitas à oficina
quando-trocar-de-carro-4

O carro começou a apresentar tantos problemas que você começa a ficar incomodado com o quanto de visita faz à oficina? Talvez este seja o momento de considerar adquirir um novo modelo para a sua garagem. Afinal, uma visita à oficina significa gasto em dinheiro e tempo perdido com o veículo parado.

 

  1. Fim da garantia
quando-trocar-de-carro-5

Boa parte dos carros fabricados e vendidos no Brasil possuem uma garantia de 3 anos, sendo que em alguns casos, a montadora chega a oferecer 5 anos de proteção. O fim da garantia pode ser uma boa medição de quando é ideal vender o seu veículo e comprar um mais novo.

Vale lembrar que essa proteção existe para cobrir falhas do fabricante e não itens de desgaste natural.

 

  1. A renda aumentou e quero trocar de carro
quando-trocar-de-carro-6

É muito comum que quando a renda aumenta, a pessoa já pense em trocar de carro. Antes de comprar um veículo mais novo, é importante calcular outros gastos, como IPVA, seguro e manutenção mais cara.

Por isso, estude bastante o modelo que você deseja adquirir e confirme se o aumento da renda é suficiente para cobrir os seus novos custos. Uma boa ideia para garantir que este novo gasto não vai lhe endividar é ter um controle total do seu planejamento financeiro pessoal.

 

Mas afinal, quando trocar de carro?

O momento ideal para você vender o seu atual veículo e trocar por outro pode ser bastante relativo. Uma dica que muitos seguem é a de trocar o carro entre 3 a 5 anos (isso se você anda até 20 mil km mensais). Seguindo esta dica, você não sofre tanto com a desvalorização e ainda consegue vender um carro confiável ao comprador.

Importante ressaltar que essa orientação vale para carros populares. Com os veículos de luxo ou importados o ideal é que você o troque de 2 em 2 anos.

 

Como o consórcio de carros pode ajudar?

Antes de avaliar se está na hora de trocar ou não o carro é fundamental que você tenha uma boa organização financeira e um controle sobre todos as suas receitas e despesas.

Dar o seu carro como parte do pagamento e financiar o restante em algumas prestações talvez não seja a solução mais ideal para trocar de veículo. Afinal, a loja ou concessionária que vai comprar o seu automóvel também inclui o seu lucro na hora de revendê-lo. Já o financiamento bancário conta com altas taxas de juros e impostos, deixando o valor final muito mais alto do que o pretendido.

Uma boa solução para quem deseja trocar de carro de forma planejada e econômica é apostar no consórcio de veículos. Com ele, você paga prestações mais baixas (já que não há a cobrança de taxa de juros) e sem muita burocracia. Além disso, assim que for contemplado com a carta de crédito, o seu poder de negociação aumenta, podendo contar com todas as vantagens da compra à vista, e continuar pagando à prazo.

Você já trocou o seu carro em alguma ocasião? Conte para a gente nos comentários o que você levou em conta na hora de tomar essa decisão. E se você ficou com alguma dúvida sobre como funciona o consórcio de veículos e os seus benefícios, entre em contato conosco.

Logo A7 Consórcios Azul Escuro
sobre o autor
A7 Consórcios

Comentários